Artistas se reúnem em Tributo a Marinês homenageando a Rainha do Xaxado

Avalie esta postagem

Da Redação
P
or Rafael Ribeiro

grande-marinesHá nove anos, Maria Inês Caetano de Oliveira, a Marinês, dona do título de “Rainha do Xaxado” teve um acidente vascular cerebral em 5 de maio de 2007, em Caruaru, Pernambuco, e foi internada no Hospital Português, em Recife. O AVC afetou o lado esquerdo da artista, provocando paralisia e dificuldade ao falar. Nove dias depois, a Rainha do Xaxado, com então 71 anos, faleceu, deixando uma lacuna no mundo do forró e da música brasileira, além de um legado de cerca de 30 discos.

Com idealização da Nega Maluca Produções, representada por Johann Sergio, a cada ano, artistas, fãs e amigos se unem para dar continuidade à memória da cantora, uma maneira de manter vivo o seu legado, trazendo interpretações de canções que ficaram consagradas na voz da intérprete.
Esse ano, os amigos vão se reunir terça-feira, dia 24, para mais uma vez homenagear a pernambucana de São Vicente Férrer. O Tributo a Marinês é uma homenagem a artista que acontece desde 2010, e antes de tudo, porém tem o cunho social e beneficente, tendo em vista que seu ingresso são dois quilos de alimentos não perecíveis, que será doado a instituições filantrópicas e famílias carentes da cidade. O VI Tributo a Marinês acontecerá no Teatro Municipal Severino Cabral, a partir das 20h. A troca está sendo realizada na recepção do teatro. Mais informações pelo telefone: 3322-3100.

Desde 2015, o evento conta com a direção musical de Waguinho Duduta e Eloisa Olinto. Na edição 2016, o Tributo a Marinês traz grandes nomes da música regional como Eloisa Olinto, Ton Oliveira, Amazan, Biliu de Campina, Wilma – A Pimentinha do Forró, Forró Campina, Orquestra Sivuqueando, além da participação do Grupo Os Gonzagas, que estão participando pela primeira vez do evento, traremos Daniel Duarte, a Companhia Folclórica Raízes e a Banda do 2º Batalhão de Polícia Militar.

“Marinês é um ícone da música regional brasileira. Junto com Luiz Gonzaga e Jackson do Pandeiro, forma a trindade da música nordestina. Queremos preservar essa memória e mostrar às futuras gerações que não podemos deixar o forró autêntico morrer”, declara Johann Sergio, idealizador e realizador do evento.

O Tributo a Marinês é uma idealização e realização da Nega Maluca Produções com a produção da Juá Produções representada por Roberta Magna com apoio da Prefeitura Municipal de Campina Grande, através da Secretaria de Cultura / Teatro Municipal Severino Cabral, UEPB, TV Paraíba, TV Borborema, TV Itararé, Campina FM, Ruan Filmagens, Agência Multiformas, Compremais Rede de Supermercados, Leite Cariri, Construtora Rocha, Fronteira Engenharia, Colégio Djanira Tavares, Xapéu Vídeo, Rede Compras Supermercados, Wilton Maia Velez, Garden Hotel, Vereador Napoleão Maracajá e Associação Amigos do Teatro Municipal Severino Cabral.

“Nessa edição, o tributo contou com a produção de Juá Produções, convite que honradamente me foi feito, por ser uma produtora pouco conhecida na região, porém vibrando no mesmo objetivo de manter esse evento como um atrativo que antecede o São João de Campina Grande, e na intenção de colaborar da melhor forma possível no intuito de engrandecer um evento tão importante no tocante a cultura nordestina, vivenciando o legado de Marinês e a riqueza que ela deixou através de sua completude enquanto artista. Marinês merece toda reverência”, finaliza Roberta Magna.

História

Marinês foi a primeira voz feminina a interpretar forró e xaxado. Representante fiel das mulheres nordestinas, ela ficou conhecida como a nossa Luiz Gonzaga de saias. Filha do ex-cangaceiro do bando de Lampião, Manoel Caetano, e da dona de casa Josefa Maria de Oliveira. Maria Inês Caetano de Oliveira nasceu em 1936, na cidade de São Vicente Ferrer, Pernambuco. Em 1940, a família saiu de Pernambuco e se mudou para Campina Grande, onde ela viveu a sua infância, mocidade, começo da carreira musical e união com o sanfoneiro Abdias, com quem teve um filho, Marcos Farias.

Com Abdias no fole, Marinês no triângulo e Cacau na zabumba, estava formado o Marinês e sua Gente. No repertório do trio tinha Jackson do Pandeiro e Luiz Gonzaga. Eles faziam shows em circos, cinemas, armazéns, disseminando o novo ritmo criado pelo Rei do Baião. Despertou interesse de Luiz Gonzaga por conta de sua autenticidade, o que a levou a participar de shows dele pelo Brasil. Ganhou o título de Rainha do Xaxado por conta de sua performance no palco e por sua maneira de interpretar a música regional nordestina por onde andou. Ao longo de sua carreira, Marinês interpretou também várias músicas de Antônio Barros e de Dominguinhos, além de diversos outros compositores brasileiros.