Procon atendeu 8 mil consumidores durante o Maior São João do Mundo

Avalie esta postagem

1369147214081-barraca-juninaDurante as festividades do Maior São João do Mundo o Procon de Campina Grande manteve um ponto fixo de atendimento no Parque do Povo, localizado no Telégrafo na Cidade Cenográfica. Os atendimentos e fiscalizações eram iniciados às 19h e se estendiam até às 23h30. Durante os 31 dias de festejos no Quartel General do Forró oito mil pessoas foram recebidas, no ponto de atendimento, para tirar dúvidas, pedir informações, fazer denúncias e solicitar material informativo. Entre esses atendimentos foram geradas 724 fiscalizações nas noites de plantão mantidas pela equipe do Procon.

De acordo com o Procon Municipal, comparadas com o ano de 2015, as denúncias à unidade do Parque do Povo triplicaram. Isso significa que os consumidores estão mais conscientes de seus direitos. “A procura por soluções nas relações de consumo, durante o São João, esteve bem acima do ano passado. Este ano os consumidores nos procuraram mais. Isso é um sinal de que estão se conscientizando de seus direitos e deveres”, disse o coordenador executivo do Procon, Paulo Porto.

Na unidade do Procon, no Parque do Povo, os consumidores e turistas poderiam ir pessoalmente fazer as denúncias e ainda acionar a fiscalização, através do telefone móvel, das ferramentas de atendimento online e redes sociais do órgão. “Graças ao trabalho dos nossos servidores superamos o ano de 2015, em atendimentos e fiscalizações. Recebemos denúncia até de outras cidades. Mas estas não poderíamos resolver, por ser competência do Procon Estadual. Mesmo assim, orientávamos esses consumidores. Nosso balanço foi extremamente positivo”, ressaltou Porto.

A fiscalização no Parque do Povo recebia solicitações de turistas e dos campinenses, em uma média de 20 atendimentos por noite. Segundo o gerente de fiscalização do Procon, Lindolfo Campos, nas fiscalizações foram autuados apenas os estabelecimentos que realmente praticavam abuso e desrespeito ao Código de Defesa do Consumidor. “Todas as diligências solicitadas foram resolvidas. Dentro de nossas possibilidades conseguimos atender todos os consumidores que iam até o ponto de atendimento. Durante o evento nosso dever foi orientar os consumidores e empresários”, ressaltou.

Nos dias de maior movimentação foram distribuídos materiais de apoio ao consumidor turista, com informações sobre os direitos básicos, telefones do órgão e orientações, caso precisassem acionar a fiscalização. De acordo com os dados de controle do atendimento, as reclamações mais frequentes foram relacionadas à estipulação mínima de consumação para pagamento com cartões de crédito; falta de cardápio na arte externa das barracas; preços diferentes do que era divulgado no cardápio e a falta de esclarecimento nas formas de pagamento.

FONTE: Da Redação com Codecom-CG